Terça-feira, 15 de Outubro de 2019
Brasil

Relatório semanal de vendas e fluxo de embarque para o mercado externo do USDA demonstrar os impactos da guerra comercial

Já de olho no ciclo 2019/20, os números apurados pelo departamento norte-americano também perpetuam o cenário preocupante vivido pelos exportadores dos EUA na safra passada

Publicada em 09/09/19 às 07:33h

por Volfe Umberto Gobbato / Gerente Geral


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: |Jornal Manchete Tupanciretã Digital)
Comentários 

Nesta sexta-feira, o relatório semanal de vendas e fluxo de embarque para o mercado externo do USDA continuou a demonstrar os impactos da guerra comercial na demanda internacional pela soja dos EUA, com números frustrantes se comparado a períodos anteriores. 
Na semana encerrada em 29 de agosto, o saldo das vendas americanas de soja em grão somou cerca de 69,4 mil toneladas, o que elevou o montante do ciclo 2018/19 para 48,8 milhões de toneladas contratadas no período. Desse montante, 46,2 milhões de toneladas já foram despachadas do país, restando apenas mais uma semana para encerramento do ciclo, o número que as exportações norte-americanas de soja devem ficar muito próximo da estimativa do USDA publicado em agosto passado, em 46,3 milhões de toneladas. 
Já de olho no ciclo 2019/20, os números apurados pelo departamento norte-americano também perpetuam o cenário preocupante vivido pelos exportadores dos EUA na safra passada.

 De acordo com o USDA, as vendas externas de soja na semana em curso para grão entregue na nova temporada totalizaram 788,4 mil toneladas, acima das expectativas do mercado que apontavam para máxima de 700 mil toneladas para o período. 
Porém, o acumulado das vendas externas com entrega na safra 2019/20 até a semana do dia 29 de agosto somam 6,4 milhões de toneladas, menos da metade contratado em igual período do ano passado. A média histórica dos últimos cinco anos seria algo em torno de 15 milhões de toneladas para o período.

Dólar 

Dólar recua e tem 1ª semana de queda em quase 2 meses 
O dólar encerrou em queda contra o real nesta sexta-feira, marcando sua primeira queda semanal em quase dois meses, em dia de maior ânimo nos mercados por expectativas de corte de juros nos Estados Unidos. 

O dólar à vista teve queda de 1,783% e encerrou o dia cotado em R$ 4,1051 na venda. Na semana, a moeda norte-americana acumulou queda de 1,512%, primeira desvalorização semanal desde 12 de julho, quando registrou variação negativa de 2,113%. 
Nesta sessão, a queda do dólar foi influenciada por um clima de menor aversão ao risco no exterior diante da ratificação das apostas de cortes de juros nos EUA após a divulgação de dados do mercado de trabalho e da fala do chairman do Federal Reserve, Jerome Powell. 

A economia dos Estados Unidos gerou, em termos líquidos, 130 mil empregos em agosto, mostrou um relatório do Departamento do Trabalho nesta sexta-feira. O dado ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pela Reuters, que esperavam a criação de 158 mil novas vagas. 
Em um discurso na Universidade de Zurique nesta sexta, Powell reafirmou o posicionamento do Fed de continuar agindo "conforme apropriado" para sustentar a expansão econômica do EUA. O Fed cortou os juros em 0,25 ponto percentual em julho, e os investidores apostam em mais dois cortes de taxa neste ano, incluindo um ainda neste mês 

Mercado Interno 

Mercado perde liquidez em meio aos movimentos de quedas de preços 
O mercado da soja encerrou mais um dia com baixíssima liquidez de negócios num cenário esvaziado pela fraca atuação de compradores e vendedores em função da enorme disparidade entre as referências de preço. As sucessivas quedas nos preços da oleaginosa na bolsa de Chicago associada a depreciação do dólar frente a moeda brasileira criaram um quadro de preços enfraquecidos num momento onde a demanda pelo grão perdeu intensidade. 
Os prêmios nas principais zonas portuários do país ainda estão firmes, sob efeito da infindável guerra comercial entre China e EUA. Porém, a variável já não demonstra a mesma força de semanas anteriores em função da menor demanda externa pela soja brasileira, sobretudo frente a redução nas compras por parte dos chineses. 
Neste contexto, a demanda doméstica também esteve enfraquecida nesta semana, visto que grande parte das indústrias sinaliza ter estoques do grão até outubro. Muitas processadoras passaram a limitar o fluxo de suas compras alegando margens reduzidas e sentem dificuldade no repasse de custos frente aos patamares atuais de preço da oleaginosa num momento onde o setor de proteína animal já possui bons estoques de curto e médio prazos. 
Os poucos reportes de negócios acontecerem em praças do MT e BA, onde o foco dos compradores é atender alguns compromissos com o setor de biodiesel e alguns carregamentos de grão e derivados ao mercado externo.

 MotivaçãoAja Rapidamente

1. Problemas não vão embora sozinhos – mas as oportunidades sim. Se você ficar esperando seus problemas simplesmente desaparecerem, eles provavelmente piorarão e ficarão mais sérios. Se você ficar vacilando quando uma oportunidade bater à sua porta, ela acabará partindo, indo bater na porta de outro.
2. Se alguma coisa precisar ser feita, faça-a agora. Seja paciente, sim, mas tenha paciência  enquanto age e faz alguma coisa de concreto. Se você estiver relutante em fazer algo que precisa ser feito, considere que, quanto mais você esperar, pior ficará a situação.
3. Você gostaria de ter superpoderes? Aja rapidamente, e você conseguirá resolver dez problemas com o mesmo esforço que levaria para resolver apenas um que, por preguiça ou indecisão, você deixou crescer desproporcionalmente. Quando mais rápido você agir, mais eficaz será.
Certamente você não vai querer pular sem olhar antes, mas, assim que decidir o que precisa ser feito faça. O tempo é seu recurso mais valioso. Quanto menos tempo você esperar para agir, mais tempo terá. Se alguma coisa precisa ser feita, faça-a agora!

Humor

A mulher é atropelada e levada desacordada para o hospital. O medico a examina e dita para a enfermeira:
- Luxação na clavícula. Escoriações e fratura no braço direito.
Enquanto a enfermeira anota, a mulher acorda e o médico lhe pergunta:
- Que idade a senhora tem?
- Trinta e cinco anos.
E ele diz para a enfermeira:
- Acrescenta ai: falta de memoria.


Opiniões contidas neste relatório são pessoais e não representam em hipótese alguma recomendação para compra e/ou venda de contratos nos mercados futuros e/ou físico.

Boas informações produzem bons negócios.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

  (55) 9 9710 9594

Visitas: 3041903
Usuários Online: 166
Copyright (c) 2019 - |Jornal Manchete Tupanciretã Digital - Edição: Jornal Manchete Digital-Tupanciretã-RS